Na última quinta-feira (05 de maio) retomamos a parte de campo do nosso projeto. Decidimos cartografar processos de serigrafia e artes em camisetas – um dos artesanatos mais populares no Baianão, em Porto Seguro (região em que nossa pesquisa se foca). Nosso primeiro passo foi entrar em contato com os artistas que já conhecíamos dentro da UFSB: o estudante Vitor Moreira, que está iniciando na área, e estudante Erlane Rosa, proprietária da Imer estamparia tendo como base o silk. A loja da Erlane oferece várias formas de estampas e desenho, tanto ilustrações já prontas em um catálogo quanto o serviço de criação de telas sob encomenda  e desenho de estampas. Tem como diferenciais em seu estabelecimento a técnica do pufe, o foil, e o strass que são formas especiais de fazer estampas.

Junto da Erlane e do Vitor Moreira procuramos conhecer outros artistas do ramo com os quais eles têm contato na mesma região (Baianão), e descobrimos que bem próxima à Imer havia outra estamparia, a T&M Confecções. Lá encontramos o corte e costura de camisetas e a estamparia agregada, além da venda de alguns materiais para o processo que são comercializados entre os produtores da área como tintas e texturas.

O tipo de trabalho na T&M é mais industrial, as produções acontecem em maior número e de forma menos artesanal. Usa-se o silk como base e tem como possibilidades de produção o chapado e a quadricromia (sobreposição de cores). Os processos contam com mais pessoas, como costureira, serigrafista e designers.

Junto do proprietário da T&M, Thiago, mapeamos outros produtores na região, que descobrimos ser bem rica na área de estampas e processos de produção de vestimentas.